Pesquisar

Ocorreu um erro neste dispositivo

quinta-feira, 17 de março de 2011

Terroristas da ETA em Óbidos


O Ministério Público (MP) acusou, na semana passada, da prática de dois crimes de furto qualificado, nove crimes de falsificação, um crime de detenção de arma proibida, e outro de resistência e coacção, tudo com vista a acções de terrorismo, os dois membros da organização terrorista ETA, em cuja casa de Óbidos foram, há um ano, encontrados vários quilos de explosivos.
Andoni Zengotitabengoa Fernandez, de 32 anos, e Oier Gomez Mielgo, de 27, foram identificados como tendo um longo historial de ligação à ETA. Estavam em Portugal desde 2006. Antes de alugarem a vivenda em Óbidos, tinham já estado a viver na zona da Lousã, e sempre com o mesmo propósito: utilizar estas residências como “base de apoio logístico e como forma de, a partir do território português, poder preparar, planear e desenvolver os seus ataques bombistas em território espanhol”, revela o MP.
Em Portugal, segundo o MP, alugaram carros em vários pontos do país, tendo trocado matrículas e usado nomes falsos para o efeito. Também furtaram dois veículos, de marca Citroën, a que fizeram o mesmo.


Foi por terem fugido de uma operação stop da GNR, numa estrada municipal próximo do Bairro da Senhora da Luz, em Óbidos, que este caso se iniciou. Em vez de pararem à ordem dos agentes, tentaram atropelar um deles e fugiram, tendo passado na vivenda de Óbidos apenas para recolher, ao que se supõe, documentos de identidade falsos. As portas foram deixadas abertas e foi na sequência disso que a GNR acabou por detectar a existência de material suspeito no interior.


Data: 17-03-2011
Fonte: Jornal das Caldas on-line

Sem comentários:

Enviar um comentário