Pesquisar

Ocorreu um erro neste dispositivo

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Morreu terrorista da extrema esquerda do Japão


Osamu Maruoka, um antigo membro do Exercito Vermelho japonês e uma conhecida figura do terrorismo da extrema esquerda dos anos 70, morreu neste domingo numa prisão em Tóquio.

Maruoka, com 60 anos, preso em 1987, cumpria uma pena de prisão perpétua, pela sua participação em desvios de aviões quando era membro do Exército Vermelho japonês. A morte deveu-se a complicações cardíacas, de acordo com a AFP.

Em 1973, Maruoka, com a ajuda de quatro companheiros, desviou um Boeing 747 da Japan Airlines, que efectuava a ligação Paris–Tóquio. Os cinco homens obrigaram o aparelho a aterrar no Dubai e tentaram obter um resgate e a libertação de dois membros do seu grupo que se encontravam na prisão.

O avião acabou por descolar e aterrar na Líbia, onde os passageiros e tripulação foram libertados e o aparelho destruído com explosivos, enquanto os autores do crimes acabaram por fugir.

Em 1974, Maruoka participou num outro desvio de um DC-8, um avião também da Japan Airlines que efectuava a mesma ligação. O aparelho aterrou em Daca, Bangladesh, e os passageiros foram libertados depois de ter sido pago um resgate de seis milhões de dólares e de terem sido libertados três membros do Exército Vermelho japonês.

Osamu Maruoka foi detido há 23 anos, quando regressava ao Japão sob falsa identidade. No ano passado, Maruoka tentara obter, sem sucesso, a suspensão da sua pena de prisão com o argumento de que sofria de sérios problemas de coração.

O Exército Vermelho japonês foi criado em 1971 e ficou conhecido em 1972 pelo ataque a um aeroporto em Tel Aviv que provocou a morte de 24 pessoas e feriu outras 76.
 
Fonte: jornal Publico online
Data:29-05-2011

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Hu Jintao promete ajuda na luta contra o terrorismo ao chefe do Governo do Paquistão


 O presidente chinês Hu Jintao prometeu a cooperação anti-terrorista com o Paquistão durante uma reunião com o chefe do Governo paquistanês, Yusuf Raza Guilani.
No encontro, que decorreu na sexta-feira , Hu Jintao salientou que Pequim colaborará na luta contra os crimes nas fronteiras "com o objetivo de criar um bom clima de segurança que favoreça o desenvolvimento económico e social dos dois países", indica um despacho da agência Xinhua.
Já Yusuf Raza Guilani disse que o seu país lutará de todas as formas contra a ameaça terrorista e sublinhou que o Paquistão está interessado em aumentar a cooperação com a China em áreas como a energia, infraestruturas, tecnologia e finanças.

Fonte: adaptado do Jornal de Noticias online
Data: 21-05-2011

Secretária de estado da segurança interna dos EUA alerta sobre nível de segurança


A secretária de Estado da Segurança Interna, Janet Napolitano, dirigiu-se ao Congresso norte-americano para dizer que a ameaça de terrorismo contra o país está «no seu mais alto nível» desde os ataques de 11 de Setembro.
Avançou que as ameaças que pesam sobre o país «evoluíram significativamente» e que, agora, o risco vem de dentro, nomeadamente de grupos inspirados na al-Qaeda que operam a nível interno.
De acordo com a BBC, secretária de Estado da Segurança Interna acrescentou que grupos extremistas estrangeiros cada vez mais procuram recrutar americanos e afirmou: «é impossível garantir que nunca mais sofreremos outro ataque terrorista e não podemos fechar o nosso país dentro de uma redoma», no entanto, «temos de continuar a fazer tudo ao nosso alcance para reduzir o risco de terrorismo na nossa nação».
Perante o Congresso, Napolitano disse que as autoridades locais têm que receber cada vez mais formação no combate ao terrorismo e que o governo federal deve focar-se em assegurar a protecção das comunidades.
Mais de 60 norte-americanos foram acusados ou condenados por actos terroristas ou crimes relacionados desde 2009.


Fonte: Semánario Sol
Data: 25-05-2011

Al-Qaeda planeava ataques ao sector petrolífero dos EUA

A rede terrorista Al-Qaeda considerava a possibilidade de realizar ataques em território americano contra a infraestrutura de petróleo e gás, segundo documentos obtidos na residência onde foi morto Osama bin Laden, informaram autoridades dos EUA nesta sexta-feira, 20. As fontes disseram, porém, que não há uma ameaça específica ou iminente ao país, notando que não está claro se a Al-Qaeda havia tentado executar esses planos depois de 2010.


Arquivo/Associated Press

Em um alerta de inteligência confidencial, o Escritório Federal de Investigação (FBI, na sigla em inglês) e o Departamento de Segurança Interna forneceram informações sobre "o interesse da Al-Qaeda em atacar a infraestrutura de petróleo e gás natural", disse um porta-voz do departamento, Matt Chandler, em comunicado. "Nós não estamos cientes de indícios de qualquer plano de ataque terrorista específico ou iminente contra o setor de petróleo e gás natural nos EUA", acrescentou.
O porta-voz diz, porém, que em 2010 havia um interesse de membros da Al-Qaeda em atacar navios-tanque e a infraestrutura comercial de petróleo em alto-mar, porém "não está claro se qualquer outro planejamento foi realizado desde meados do ano passado". O alerta foi enviado para os setores federal, estadual e local de segurança, e também a companhias de petróleo e gás. O nível de alerta terrorista nacional, porém, não foi elevado. As informações são da Dow Jones.

Fonte: adaptado de Estadão.com.br

Data: 20-05-2011

quarta-feira, 18 de maio de 2011

1 morto e 13 feridos no ataque do Exército Indiano

Pelo menos um cidadão paquistanês morreu e outros 13 ficaram feridos em sequência de um ataque do Exército indiano na fronteira entre a Índia e o Paquistão.
Segundo a televisão local Express, o Exército Indiano começou a disparar na fronteira com o leste do Paquistão, junto à cidade paquistanesa de Sialkot, tendo morto um civil e ferido outros 13, incluindo três militares paquistaneses, sem registo de incidentes do lado indiano, apesar de o Paquistão ter respondido ao ataque.
Os atentados de 2008 em Bombaim, atribuídos por Nova Deli a um grupo terrorista baseado no Paquistão, levaram o governo indiano a suspender as relações diplomáticas com Islamabad, tendo o diálogo sido retomado em 2010.

Fonte: adaptado do Jornal de Noticias online

Data:15-05-2011

Ameaça de bomba paralisa Londres







Uma ameaça de bomba levou ontem ao encerramento de várias ruas nas imediações do Palácio de Buckingham, no centro de Londres. A ameaça, efectuada por dissidentes do Exército Republicano Irlandês (IRA), ocorreu na véspera da visita da rainha Isabel II à República da Irlanda e uma semana antes da chegada do presidente do EUA, Barack Obama, à capital britânica.



A polícia, que afirmou que a ameaça não referia uma hora ou um local específicos, encerrou durante cinco horas o Mall, avenida que conduz ao Palácio de Buckingham, residência da rainha, por razões de segurança, tendo ainda destruído, numa explosão controlada, uma bolsa abandonada nas imediações que se revelou ser inofensiva. Uma tampa de sarjeta mal colocada levou ainda os polícias a exa-minar os esgotos em redor do Palácio de Buckingham, por receio de que aí tivessem sido colocados explosivos.
A polícia londrina está a levar muito a sério a ameaça, uma vez que foi dada a palavra de código habitualmente usada nos alertas do IRA. Refira-se que o telefonema foi a primeira ameaça do IRA contra alvos fora da Irlanda do Norte nos últimos dez anos. No mês passado, dissidentes do IRA anunciaram que a rainha era um alvo "por crimes cometidos contra a Irlanda".

Fonte: Correio da manha online

Data:17-05-2011

Novo líder da Al Qaeda

O egípcio Saif al Adel foi apontado como o “líder interno” da rede terrorista Al Qaeda, disse Noman Benotman em declarações ao canal de TV americana CNN. Benotman já foi líder do Grupo Islâmico de Luta na Líbia, uma organização militar que era alinhada com a Al Qaeda. Nos últimos anos, entretanto, ele distanciou-se da rede de Bin Laden.
Al Adel teria sido escolhido para ocupar o lugar de Osama bin Laden, morto por militares americanos numa operação no Paquistão no dia 1 de Maio.
O egípcio teria um papel activo na rede. Além disso, ele contaria com o apoio de grupos ligados à Al Qaeda.
Recentemente, conta Benotman, aumentaram as críticas das comunidades fundamentalistas sobre a demora na definição de um sucessor para Bin Laden. Seguidores da organização estariam a reclamar inclusive em sites da internet.
No entanto, Benotman diz que a escolha por um egípcio pode não agradar aos membros da Al Qaeda no Iêmen e na Arábia Saudita, pois "esses grupos acreditam que o sucessor de Bin Laden deveria ser alguém da península saudita, que abrange todos os grupos de mulçumanos".
Logo depois da captura de Bin Laden, chegou-se a dizer que Ayman al Zawahri, o número dois da rede terrorista, seria o novo líder. A "filial" iraquiana da Al Qaeda inclusive anunciou apoio ao dirigente e disse que pretendia cometer atentados para vingar a morte do líder.

Texto adaptado: R7 Notícias
Data: 18-05-2011